Os intelectuais e a questão nordestina

Autores

  • Hevilla Wanderley UFPB
  • Luciana Aliaga UFPB

DOI:

https://doi.org/10.31990/agenda.2021.1.2

Palavras-chave:

Intelectuais, Questão nordestina, Gramsci, Nordeste

Resumo

O desenvolvimento político e socioeconômico do país, marcado pela continuidade das antigas estruturas coloniais, cunhou relações complexas entre as classes sociais, a cultura nacional e a formação dos intelectuais. Um dos elementos resultantes desse processo é a questão nordestina, que se refere precisamente ao desenvolvimento desigual entre regiões brasileiras. No interior da questão nordestina, como buscaremos demonstrar, surgiram representações culturais e políticas que naturalizaram e reforçaram a subalternidade regional, para as quais a atuação dos intelectuais foi decisiva. Para abordar as relações complexas entre a produção intelectual nacional e a questão nordestina centraremos a análise sobre a atuação de Gilberto Freyre e Durval Muniz de Albuquerque Jr., principalmente no que se refere à constituição da “região” como categoria explicativa, que, cremos, corroborou diretamente para a reprodução reiterada de uma visão estigmatizada do Nordeste e dos nordestinos.

Referências

ALIAGA, L. Gramsci e a democracia nos Cadernos do Cárcere: a crítica à teoria das elites. Critica Marxista. São Paulo, 2016.

ABUD, K. M. Formação da Alma e do Caráter Nacional: Ensino de História na Era Vargas. Revista brasileira de história. São Paulo, v. 18, n. 36, p. 103-114, 1998

ALBUQUERQUE JR., D. M. A invenção do Nordeste e outras artes. 5. ed. São Paulo: Cortez Editora, 2011.

ANDREA, G. D.; GIASI, F. (org.). Il Mezzogiorno e l’Italia, Roma: Studium, 2013.

AQUECI, F. Nord e Sud, America e Italia, la questione meridionale in due grandi nazioni industriali. Paradigmi. Rivista di critica filosofia, n. 3, 2014.

BOOTHMAN, D. Tradutibilidade. In: LIGUORI, G; VOZA, P. (Orgs.). Dicionário gramsciano (1926-1937). - 1. ed. – São Paulo: Boitempo, 2017.

CÂMARA, Y. M. R.; CÂMARA Y. R. Canudos revisitado: uma breve análise do que foi a utopia de Antônio Conselheiro, ameaça à consolidação do poder da República no final do século XIX. Revista Entrelaces, n. 5, mai. 2015.

CAMPOS, M. Colonialismo cultural interno: o caso Nordeste. Fortaleza: 1986.

COUTINHO, C. N. Cultura e sociedade no Brasil: ensaios sobre ideias e formas. 4. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

COUTINHO, C. N. Democracia como valor universal: Notas sobre a questão democrática no Brasil. São Paulo: Editora Ciências Humanas, 1980.

CUNHA, E. Os sertões: campanha de Canudos. Rio de Janeiro: Livraria F. Alves Editora; Publifolha, 2000.

DEL ROIO, M. A mundialização capitalista e o conceito gramsciano de revolução passiva. In: Marx, Gramsci e Vigotski: aproximações / MENDONÇA, S. G. L.; SILVA, V. P.; MILLER, S. (Orgs.). Araraquara, SP: Junqueira & Marin; Marília, SP: Cultura Acadêmica, 2009.

DUARTE, R. H. “Com açúcar, com afeto”: impressões do Brasil em Nordeste de Gilberto Freyre. Revista Tempo, Rio de Janeiro, n. 19, pp. 125-147, 2004.

FERNANDES, F. Sociedade de classes e subdesenvolvimento. 5. ed. São Paulo: Global Editora, 2008.

FONTES, H. A invenção do Nordeste, descaminhos sísmicos de uma peça documental do Grupo Carmin. Revista Observatório Itaú Cultural. n. 25, mai./nov. 2019.

FRANK, A. G. A agricultura brasileira: capitalismo e mito do feudalismo. In: STÉDILE, J. P. (Org.). A questão agrária no Brasil. v. 2. São Paulo: Expressão Popular, 2012.

FREYRE, G. Nordeste: Aspectos da Influência da Cana sobre a Vida e a Paisagem do Nordeste do Brasil. 1. ed. digital. São Paulo, 2013.

FREYRE, G. O manifesto regionalista. 7ª ed. Recife: FUNDAJ, Ed. Massangana, 1996. p. 47-75.

GOMES, A. C; FERREIRA, M. M. Primeira República: um balanço historio gráfico. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 2, n. 4, 1989, p. 244-280.

GRAMSCI, A. Alcuni temi dela questione meridionale. Lo Stato operaio, jan. 1930. In GRAMSCI, A. La questione meridionale. Molinara: West Indian 2014.

GRAMSCI, A. A questão meridional. Seleção e introdução Franco de Felice, Valentino Parlato; Trad. Carlos Nelson Coutinho, Marco Aurélio Nogueira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GRAMSCI, A. Quaderni del Carcere: edizione critica dell’Istituto Gramsci a cura di Valentino Gerratana. Turim: Einaudi, 1975.

GRAMSCI, A. Cadernos do Cárcere, volume 2: Os intelectuais. O princípio educativo. Jornalismo. Trad. Carlos Nelson Coutinho. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

SALLES, R. H. O Império do Brasil no contexto do século XIX: Escravidão nacional, classe senhorial e intelectuais na formação do Estado. Almanack, Guarulhos. n. 4, p. 5-45, dec. 2012.

SANTOS, N. A. Elementos para crítica à tese de invenção do Nordeste. REVES-Revista Relações Sociais. vol. 2 n. 3, 2019.

TARASCIO, G. Gramsci e la questione meridionale. Genesi, edizioni e interpretazioni. Historia Magistra - Rivista di Storia Critica, ano IV, n. 9, 2012.

VIANNA, L. W. A revolução passiva: iberismo e americanismo no Brasil. Rio de Janeiro: Iuperj/Revan, 1997.

Downloads

Publicado

2022-01-25

Como Citar

WANDERLEY, H.; ALIAGA, L. Os intelectuais e a questão nordestina. Agenda Política, [S. l.], v. 9, n. 1, p. 42–66, 2022. DOI: 10.31990/agenda.2021.1.2. Disponível em: https://www.agendapolitica.ufscar.br/index.php/agendapolitica/article/view/585. Acesso em: 2 dez. 2022.