Revista Agenda Política https://www.agendapolitica.ufscar.br/index.php/agendapolitica <p>A revista <strong>Agenda Política</strong> (ISSN 2318-8499) é um periódico editado pelos discentes do <a href="http://www.ppgpol.ufscar.br/" target="_blank" rel="noopener">Programa de Pós-Graduação em Ciência Política da Universidade Federal de São Carlos (PPGPol/UFSCar)</a>. </p> <p>Atualmente, a revista <strong>Agenda Política</strong> está avaliada com o Qualis A3.</p> UFSCar pt-BR Revista Agenda Política 2318-8499 <p><strong><span style="font-size: 1.17em;">Direito Autoral</span></strong></p> <p>Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, sendo o trabalho simultaneamente licenciado sob a <a href="https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/">Creative Commons Attribution License</a> o que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria do trabalho e publicação inicial nesta revista.</p> <ol> <li>As ideias e opiniões expressas no artigo são de exclusiva responsabilidade do autor, não refletindo, necessariamente, as opiniões da revista.</li> <li>Após a primeira publicação, o autor tem autorização para assumir contratos adicionais, independentes da revista, para a divulgação do trabalho por outros meios (ex: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), desde que feita a citação completa da mesma autoria e da publicação original.</li> <li>O autor de um artigo já publicado tem permissão e é estimulado a distribuir o seu trabalho on-line, sempre com as devidas citações da primeira edição.</li> </ol> Achieving Democracy through Interest Representation? https://www.agendapolitica.ufscar.br/index.php/agendapolitica/article/view/1026 <p>The article discusses a link between interest representation and its importance for democracy. After looking at the pluralist, corporatist and neo-pluralist approaches, the article focuses on the role of interest groups in associational, deliberative, and participatory democracies. I debate whether or not interest representation is a necessary element of democracy and whether the theoretical background can help us grasp it across all political systems. I address this question in the context of young, post-Communist democracies in Central and Eastern Europe (CEE). I argue that in the CEE countries when studying interest groups’ populations and organizational behaviour, we have to take into consideration a number of internal and external factors that impact perceptions and actual activity of interest groups when it comes to countries’ democratization.</p> Patrycja Rozbicka Copyright (c) 2023 Revista Agenda Política https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-12-16 2023-12-16 11 1 105 119 10.14244/agenda.2023.1.11 A segmentação vertical do Estado e as frações da classe do capital https://www.agendapolitica.ufscar.br/index.php/agendapolitica/article/view/744 <p>O artigo sustenta o argumento de que a relação governo nacional/governo subnacional é condicionada pela relação burguesia da região-polo/burguesia periférica. Apresenta-se o significado de fração de classe do capital e expõe-se a relação da clivagem poder central/poder local com o sistema de frações capitalistas por fim. Parte-se da consideração de que a postura da burguesia periférica pode assumir três posições distintas: a subordinação (burguesia associada); a autonomia (burguesia regionalista); o conflito seletivo (burguesia interna). Em particular, os capitais produtivos -agrários e industriais - na região periférica inclinamse à posição de burguesia interna, envolvendo-se em conflitos seletivos com a burguesia da região-pólo, dadas as bases de acumulação periférica. O resultado concreto da análise aponta que a conquista da hegemonia política pela burguesia agrária no Piauí dos anos 2000 possibilitou uma presença mais “ativa” da classe dominante local no cenário nacional.</p> Francisco Pereira de Farias Copyright (c) 2023 Revista Agenda Política https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-12-07 2023-12-07 11 1 14 28 10.14244/agenda.2023.1.1 O voto amaldiçoado https://www.agendapolitica.ufscar.br/index.php/agendapolitica/article/view/710 <p>Este artigo oferece um referencial teórico para esclarecer os equívocos comuns e estabelecer um novo quadro analítico para as discussões acadêmicas sobre a responsabilização eleitoral (<em>electoral accountability</em>). Analisam-se as limitações da eleição como um mecanismo de responsabilização democrática a partir de três níveis: o nível individual dos eleitores, o nível institucional dos sistemas políticos e o nível contextual da sociedade civil. Para concluir, buscamos apresentar uma linha de orientação de política normativa visando à revitalização do sistema de responsabilização eleitoral nas democracias latino-americanas.</p> Dian Zhong Flávio Ribeiro de Oliveira Copyright (c) 2023 Revista Agenda Política https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-12-07 2023-12-07 11 1 29 51 10.14244/agenda.2023.1.2 Burguesia industrial e inovação nas práticas de classe https://www.agendapolitica.ufscar.br/index.php/agendapolitica/article/view/818 <p>O artigo problematiza as inovações políticas presentes nas práticas de classe mobilizadas pela burguesia industrial no Brasil, visando defender seus interesses em instâncias subnacionais de decisão estatal. O modo como o conceito de <em>práticas de classe</em> é utilizado pressupõe que as classes sociais definem e redefinem suas formas de atuação levando em consideração necessidades e oportunidades políticas que decorrem de suas experiências de lutas. Nesse sentido, tomando como referência a atuação política da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), são analisadas as continuidades e as mudanças nas práticas de classe da burguesia industrial gaúcha, visando defender seus interesses na Assembleia Legislativa. A análise enfatiza a criação de uma Agenda Legislativa Estadual que, a partir de 2020, deu uma nova organicidade às práticas classistas utilizadas pela burguesia industrial no Rio Grande do Sul em sua relação com o poder legislativo subnacional.</p> Marco André Cadoná Copyright (c) 2023 Revista Agenda Política https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-12-07 2023-12-07 11 1 52 73 10.14244/agenda.2023.1.3 A indústria siderúrgica como grupo de interesse na guerra comercial sino-americana https://www.agendapolitica.ufscar.br/index.php/agendapolitica/article/view/828 <p>Uma das primeiras medidas adotadas pelo governo Trump na guerra comercial sino-americana foi a imposição de tarifas de 25% ao aço importado e 10% ao alumínio, decisão que gerou, para além dos impactos econômicos internacionais, reverberações para a indústria siderúrgica doméstica. Porém, o papel dos grupos de interesse da indústria siderúrgica norte-americana na imposição dessas tarifas em 2018 é ainda abstrato e, em grande medida, especulativo. Assim, objetivando avaliar a influência da indústria siderúrgica norte-americana nessas medidas tarifárias, este artigo consiste em uma pesquisa em fontes primárias para compilar dados referentes às principais empresas do grupo de interesse da indústria siderúrgica norte-americana e analisá-los à luz de testemunhos e documentos oficiais. Esse banco de dados aponta que de fato há uma influência do grupo na imposição de tarifas sobre o aço e o alumínio e abre caminhos para novas pesquisas sobre o tema.</p> Débora Lemos Nascentes Bruno Taddeo de Lima Campos Copyright (c) 2023 Revista Agenda Política https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-12-07 2023-12-07 11 1 74 104 10.14244/agenda.2023.1.4 Editorial https://www.agendapolitica.ufscar.br/index.php/agendapolitica/article/view/1030 <p>É com satisfação que a equipe editorial da Revista Agenda Política publica o seu número 1, volume 11, ano 2023. Esta edição conta com um dossiê temático sobre "Dinheiro, Interesses e Democracia", uma entrevista com o professor Wagner Pralon Mancuso (Universidade de São Paulo), e um artigo sobre agenda de pesquisa de autoria da professora Patrycja Rozbicka (Aston University), além dos artigos que compõem a seção "Temas Livres". Esta edição logra ao integrar as seções da revista - dossiê, agenda e entrevista - em relação a um eixo temático: a defesa de interesses e sua relação com a democracia.</p> Cristiano Parra Duarte Nayara Albrecht Tailon Rodrigues Almeida Copyright (c) 2023 Revista Agenda Política https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-12-07 2023-12-07 11 1 1 5 Dinheiro, Interesses e Democracia https://www.agendapolitica.ufscar.br/index.php/agendapolitica/article/view/1024 <p>A Ciência Política ocupa-se do estudo e da investigação sobre as formas com as quais as sociedades estruturam sistemas de organização de interesses, ou seja, os meios a partir dos quais o poder é distribuído e exercido e quais são suas inúmeras consequências. Portanto, nesta perspectiva, o poder define a capacidade dos diferentes atores em determinar a prevalência dos seus interesses sobre outros que o antagonizam.</p> Lucas Nascimento Ferraz Costa Copyright (c) 2023 Revista Agenda Política https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-12-07 2023-12-07 11 1 6 13 10.14244/agenda.2023.1.0 Mudança institucional em instituições de controle https://www.agendapolitica.ufscar.br/index.php/agendapolitica/article/view/806 <p>Este trabalho tem como objetivo compreender o processo de mudança institucional a partir da análise de estudo de caso de uma instituição de controle no Brasil, o Tribunal de Contas dos Municípios do Estado de Goiás (TCM-GO). Para isso, realizou-se uma análise documental do processo da mudança do entendimento acerca da forma como os municípios devem fazer o pagamento de débitos previdenciários e quais punições estão reservadas para os gestores que descumprem a regra. Para tal, mobilizamos a teoria que versa sobre mudança institucional e órgãos de controle no Brasil. Identificamos que as mudanças acontecem de forma endógena e que diferentes padrões de decisão são tomados a depender de fatores cognitivos, vinculados aos membros em posições de decisão.</p> Leonardo Morais Wendy Silva de Andrade Lizandro Lui Copyright (c) 2023 Revista Agenda Política https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-12-07 2023-12-07 11 1 120 140 10.14244/agenda.2023.1.5 Quem se elege prefeito nas capitais brasileiras? https://www.agendapolitica.ufscar.br/index.php/agendapolitica/article/view/813 <p>A literatura em Ciência Política tem procurado examinar quais são os caminhos trilhados por candidatos vitoriosos nas campanhas eleitorais – estudos sobre recrutamento mostram que existem diversas variáveis que afetam as chances dos(as) candidatos(as) serem eleitos(as) ou não. Desta forma, este artigo apresenta uma reflexão sobre quem são os(as) 26 prefeitos(as) eleitos nas capitais brasileiras em 2020 a partir de variáveis de campanha, de perfil e também políticas. No grupo de variáveis de campanha estão reunidas informações sobre os gastos do(a) candidato(a), divididos em gastos de campanha tradicional, moderna e hipermidiática, e quanto ele(a) gastou diante do teto de custos da sua respectiva cidade. Nas variáveis de perfil são reunidas informações sobre a presença ou ausência do(a) político nas plataformas de campanha on-line. Por fim, as variáveis políticas preveem a classificação dos candidatos(as) em quatro tipologias de carreira política: <em>insider, amateur, maverick </em>e <em>full outsider</em>. A hipótese a ser testada no artigo é que na eleição de 2020, realizada em um contexto específico de pandemia, os candidatos vencedores(as) são, em sua maioria, <em>insiders</em> e utilizaram de amplos recursos de campanha digital, sem que tal uso represente gastos mais elevados com o que classificamos como campanha hipermidiática.</p> Afonso Ferreira Verner Copyright (c) 2023 Revista Agenda Política https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-12-07 2023-12-07 11 1 141 168 10.14244/agenda.2023.1.6 A espetacularização no twitter https://www.agendapolitica.ufscar.br/index.php/agendapolitica/article/view/814 <p>O artigo tem por objetivo analisar a espetacularização no perfil do candidato a presidência Jair Bolsonaro por meio da representação da Operação Lava Jato no período eleitoral. Foram estudadas as publicações feitas no perfil do presidenciável no período de 16 de agosto a 28 de outubro de 2018, quando ocorreram o primeiro e o segundo turnos das eleições daquele ano. Como metodologia foi utilizada a análise de conteúdo automatizada, para constituição das categorias e dos enquadramentos. O estudo também retoma a conjuntura política apoiado em conceitos e denominações jurídicas. A hipótese inicialmente levantada é de que a utilização da cobertura especular feita pela mídia sobre a Operação Lava Jato foi aproveitada pelo perfil do candidato na comunicação naquele período.</p> Carla Montuori Fernandes Luiz Ademir de Oliveira Adriel Geovane Diniz Lopes Copyright (c) 2023 Revista Agenda Política https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-12-07 2023-12-07 11 1 169 200 10.14244/agenda.2023.1.7 Análise comparativa da violência política de gênero na legislação dos países sul-americanos https://www.agendapolitica.ufscar.br/index.php/agendapolitica/article/view/852 <p>O artigo tem como objetivo analisar a legislação sul-americana que trata acerca da violência política de gênero, a fim de entender o que cada país considera como violência política e quais os mecanismos de combate para tal conduta. O método comparativo foi utilizado para analisar as diferenças entre os países, a partir da construção de uma tabela explicativa. Dentre os resultados, verificou-se que embora todas as leis contenham um conceito de violência política contra a mulher (ou de gênero) e alguma espécie de sanção, a maioria não implementa mecanismos de prevenção e reparação fortes, principalmente quanto à criação de um órgão institucional específico para a violência política. Dentre os casos estudados, apenas Bolívia, Peru e Brasil possuem uma lei específica sobre a violência política contra a mulher. Por fim, destacaram-se como mais incompletas as legislações do Brasil e da Argentina, cujo aparato institucional foi considerado fraco para o combate à violência política de gênero.</p> Rafaela Rocha Arnaud Copyright (c) 2023 Revista Agenda Política https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-12-07 2023-12-07 11 1 201 235 10.14244/agenda.2023.1.8 Fabiano Contarato https://www.agendapolitica.ufscar.br/index.php/agendapolitica/article/view/824 <p>O primeiro político declaradamente LGBTI+ eleito para o legislativo federal brasileiro foi Clodovil Hernandes em 2006. Contudo, o deputado declarava não representar o movimento. Nas eleições seguintes, novos políticos LGBTI+ se elegeram, sendo 2018 o ano de maior êxito, com a eleição de dois deputados federais e do primeiro senador gay do Brasil: Fabiano Contarato. Dado este fenômeno, este trabalho busca identificar a relação do senador com a temática LGBTI+, sob a perspectiva de representação fundamentada em Pitkin e Young, perpassando por Fraser. Para isso, será analisada a comunicação digital de Contarato, uma vez que as redes sociais possuem papel de accountability e de campanha permanente para mandatários. O corpus desta pesquisa são as publicações feitas pelo senador em sua página no Facebook de 2019 a 2021, sendo utilizada a metodologia de Análise de Conteúdo para, em primeiro momento, identificar a frequência de postagens com temática LGBTI+ em relação ao total e, na sequência, um aprofundamento específico nestas postagens a fim de compreender os recursos discursivos utilizados e o alinhamento ao movimento, compreendendo assim como Contarato atua em representação a esta população.</p> Bruno Rafael dos Santos Copyright (c) 2023 Revista Agenda Política https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-12-07 2023-12-07 11 1 236 258 10.14244/agenda.2023.1.9 Entrevista com Wagner Pralon Mancuso https://www.agendapolitica.ufscar.br/index.php/agendapolitica/article/view/1031 <p>As relações entre dinheiro, interesses e democracia são multifacetadas e assumem diversos contornos na política nacional. No campo acadêmico, tais relações têm sido objeto de estudos com amplas e diversificadas abordagens teóricas e metodológicas. Para a Ciência Política, a agenda de pesquisa se aprofunda, dentre outros temas, nos impactos que transformações recentes nas relações entre dinheiro e política têm produzido na democracia brasileira. Inserido nesse debate, entrevisto Wagner Pralon Mancuso, cientista político, mestre e doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (USP), professor da USP, credenciado nos programas de pós-graduação em Ciência Política e Relações Internacionais da mesma instituição. Mancuso é referência na área e tem conduzido pesquisas relevantes sobre a interlocução dos interesses e do dinheiro em contextos democráticos ao longo de sua trajetória acadêmica. Essencialmente, seus principais temas de pesquisa abordam o financiamento político, ação empresarial, <em>lobby</em>, grupos de interesse e pressão, políticas públicas e análise do processo decisório. Nesta entrevista, Mancuso nos apresenta análises sobre os dois aspectos que mais têm aparecido em suas pesquisas mais recentes: grupos de interesse e financiamento político.</p> Tailon Rodrigues Almeida Copyright (c) 2023 Revista Agenda Política https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-12-07 2023-12-07 11 1 259 273 10.14244/agenda.2023.1.10