A Atuação da China no Conselho de Segurança das Nações Unidas de 1971 a 2019

Autores

  • Isabella Barbosa do Vale Universidade Anhembi Morumbi
  • Renan Oliveira Universidade Anhembi Morumbi
  • Helena Margarido Moreira Universidade Anhembi Morumbi

DOI:

https://doi.org/10.31990/agenda.2021.2.9

Palavras-chave:

China, Conselho de Segurança, Nações Unidas, Veto

Resumo

Esta pesquisa apresenta e analisa o comportamento cada vez mais ativo da China perante o Conselho de Segurança das Nações Unidas, dando ênfase ao aumento do uso da prerrogativa do veto. Como método, foi feita a análise de documentos secundários disponíveis nos sites oficiais das Nações Unidas, do Conselho de Segurança, da Assembleia Geral, da Missão Permanente da República Popular da China nas Nações Unidas; e consulta de literatura especializada. São analisados com maior precisão os vetos chineses acompanhados dos russos nas resoluções do Conselho quanto à Guerra Civil na Síria (entre os anos de 2010 e 2019) e à Crise na Venezuela (2016). A pesquisa sugere a relação direta entre o recém ativismo chinês dentro da ONU com sua ascensão política e econômica e discute seus impactos para o sistema internacional de Estados, contribuindo para uma análise mais abrangente da atuação chinesa nas instituições internacionais.

Biografia do Autor

Isabella Barbosa do Vale, Universidade Anhembi Morumbi

Bacharel em Relações Internacionais pela Universidade Anhembi Morumbi, 2020. Foi, junto à UAM, líder do projeto MONUEM 2019 na E. E. Ministro Costa Manso e Embaixadora Estudantil na UAM-RI em 2020.

E-mail: isabelladovale1@gmail.com

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-2636-4481

Renan Oliveira, Universidade Anhembi Morumbi

Doutor em negócios internacionais pelo Coppead-UFRJ (2019), mestre em sustainability management pela Curtin University of Technology (2012) e bacharel em RI pela Universidade Anhembi Morumbi (2010).

E-mail: renan.oliveira@anhembi.br

ORCID: https://orcid.org/0000-0001-7697-204X

Helena Margarido Moreira, Universidade Anhembi Morumbi

Doutora em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (USP). Professora e Coordenadora dos cursos de Relações Internacionais e Comércio Internacional da Universidade Anhembi Morumbi (UAM). 

E-mail: hmmoreira@anhembi.br

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-0367-4671

Referências

ALDERMAN, M. Economies of Expansion: Chinese Peacekeeping Contributions Bolster "China's Peaceful Development". Senior Honror Thesis – Peace, War, & Defense, University of North Carolina. Chapel Hill. 2019.

BALÃO, S. M. R. As NTIC, o Ciberespaço e a “Imagem do Poder” - Uma análise ostrogorskiana da Política Global contemporânea. Agenda Política, [S.I.], v. 2, n. 1, p. 204-233, 2014.

CARMODY, P.; OWUSU F. A expansão da China para a África: Interesses e Estratégias. In: A China na Nova Configuração Global - Impactos Políticos e Econômicos. Brasília: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 2011.

CARRIÇO, A. A Grande Estratégia da China: Desenvolvimento Pacífico e Mundo Harmonioso. Relações Internacionais (R:I), [S.I.], p. 23–33, 2013.

CINTRA, M. A. M.; PINTO, E. C. China em transformação: transição e estratégias de desenvolvimento. Revista de Economia Política, [S.I.], v. 37, n. 2, p. 381-400, 2017.

COLUMBIA GLOBAL POLICY INITIATIVE. Responsibility While Protecting: Implementation and the Future of the Responsibility to Protect. Columbia University, 2015.

DENG, Y. China’s Struggle for Status: The Realignment of International Relations. Cambridge University Press, 2012.

ELLIS, R. E. The Future of Latin America and the Caribbean in the Context of the Rise of China. Center for Strategic & International Studies (CSIS), 2018.

EVANS, G. The responsibility to Protect: Ending Mass Atrocity Crimes Once and for All. Brookings Institution Press, 2009.

FORTES, A. R. S. A ascensão chinesa no sistema capitalista global contemporâneo: uma análise sob a ótica da Escola de Amsterdã. Revista de Iniciação Cientifica em Relações Internacionais, [S.I.], v. 7, n. 13, p. 21-35, 2020.

FUNG, C. J. Separating Intervention from Regime Change: China’s Diplomatic Innovations at the UN Security Council Regarding the Syria Crisis. China Quarterly, [S.I.], v. 235, p. 693–712, 2018.

GALLAGHER, P. K.; MYERS, M. China-Latin America Finance Database. Washington: Inter-American Dialogue. 2021.

IISS - THE INTERNATIONAL INSTITUTE FOR STRATEGIC STUDIES. The Strategic Survey 2018: The Annual Assessment of Geopolitics. Routledge, 2018.

JÚNIOR, A. W. M. T. A Geopolítica da China na Crise da Venezuela: Postura Estratégica e Diplomacia Militar. Análise Estratégica, [S.I.], v. 15, n. 1, p. 7–24, 2020.

KISSINGER, H. Ordem Mundial. Rio de Janeiro: Objetiva, 2014.

KOROLEV, A. Systemic balancing and regional hedging: China-Russia relations. Chinese Journal of International Politics, [S.I.], v. 9, n. 4, p. 375–397, 2016.

LEÃO, R. P. F.; PINTO, E. C.; ACIOLY, L. A China na Nova Configuração Global - Impactos Políticos e Econômicos. Brasília: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 2011.

LEI, X. China as A Permanent Member of the United Nations Security Council. Friedrich-Ebert-Stiftung, Global Policy and Development: FES Berlin, 2014.

LEI, Z. Two pillars of China’s global peace engagement strategy: UN peacekeeping and international peacebuilding. International Peacekeeping, [S.I], v. 18, n. 3, p. 344–362, 2011.

MASIERO, G.; COELHO, D. B. A política industrial chinesa como determinante de sua estratégia going global. Revista de Economia Política, [S.I.], v. 34, n. 1, p. 139–157, 2014.

NAHLAWI, Y. Overcoming Russian and Chinese vetoes on Syria through Uniting for Peace. Journal of Conflict and Security Law, [S.I.], v. 24, n. 1, p. 111–143, 2019.

NUNES, T. A. A relevância estratégica da Venezuela a partir da perspectiva da segurança energética da China. Revista Intellector - ISSN 1807-1260 - CENEGRI, [S. I.], v. 15, n. 30, p. 134–147, 2018.

OLIVEIRA, H. A.; LEITE, A. C. C. Chinese engagement for Global Governance: aiming for a better room at the table?. Revista Brasileira de Política Internacional [S.I]. v. 57, n. spe, p. 265-285, 2014.

PAUTASSO, D. A Nova Rota da Seda e seus desafios securitários: os Estados Unidos e a contenção do eixo Sino-Russo. Estudos Internacionais: Revista de Relações Internacionais da PUC Minas [S.I.], v. 7, n. 2, p. 85-100, 2019.

PAUTASSO, D.; JUBRAN, B. M. A virada para o Leste na política externa russa e a intensificação da cooperação energética sino-russa. Relações Internacionais (R:I), [S.I.], n. 61, p. 77-93, 2019.

PONCET, S. A Ascensão Chinesa: Implicações para as economias da Europa. In: A China na Nova Configuração Global - Impactos Políticos e Econômicos. Brasília: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 2011.

ROCHA, A. S. Mudança Política e Regimes Políticos: Paradigmas de Política Comparada e um Retorno à História?. Agenda Política, [S.I.], v. 1, n. 1, 2013.

ROMERO, C. A. Nuevas directrices en la asociación Venezuela-China. Revista Tempo do Mundo, [S.I.] v. 2, n. 2, 2016.

STUENKEL, O. O mundo pós-ocidental: Potências emergentes e a nova ordem global. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

UN DOCUMENTATION RESEARCH GUIDE. Security Council – Veto List. Disponível em: <https://research.un.org/en/docs/sc/quick/veto>. Acesso em 15 set. 2020.

VALENTE, L.; ALBUQUERQUE, M. Da Discrição ao Ativismo: O Novo Papel da China no Conselho de Segurança da ONU. Contexto Internacional, [S.I.], v. 37, n. 2, p. 693–726, 2015.

WALDMANN, L. Forças Armadas, Defesa e Política: Uma introdução. Agenda Política, [S.I.], v. 7, n. 1, p. 03-07, 2019.

YANG, J. China's "New Diplomacy" under the Xi Jinping Administration. China Quarterly of International Strategic Studies, [S.I.], v. 1, n. 1, p. 1-17, 2015.

Downloads

Publicado

2022-01-25

Como Citar

BARBOSA DO VALE, I.; OLIVEIRA, R.; MARGARIDO MOREIRA, H. A Atuação da China no Conselho de Segurança das Nações Unidas de 1971 a 2019. Agenda Política, [S. l.], v. 9, n. 2, p. 244–275, 2022. DOI: 10.31990/agenda.2021.2.9. Disponível em: https://www.agendapolitica.ufscar.br/index.php/agendapolitica/article/view/470. Acesso em: 12 ago. 2022.

Edição

Seção

Temas Livres