A percepção do Auxílio Brasil entre os beneficiários e o impacto nas eleições presidenciais de 2022

Autores

  • Karla Regina Macena Pereira Patriota Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

DOI:

https://doi.org/10.14244/agenda.2023.2.9

Palavras-chave:

Auxílio Brasil, Eleições Presidenciais, Bolsa Família, Intenção de Voto, Grupos Focais

Resumo

Criado em abril de 2020, como resposta à crise causada pela COVID-19, o Auxílio Brasil, dois meses antes do primeiro turno das eleições presidenciais de 2022, foi elevado de R$ 400,00 para R$ 600,00, ao que parece, com o intuito de melhorar o desempenho do ex-Presidente Bolsonaro nas urnas, sobretudo entre a parcela mais vulnerável da população. Com o objetivo de entender quais foram os impactos desse benefício nas opiniões, expectativas, percepções e até nas intenções de voto, realizamos quatro Grupos de Discussão com homens e mulheres beneficiários no Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e Salvador. Os resultados indicaram que, a despeito de terem muito apreciado o benefício ampliado, ele não foi suficiente para garantir a adesão pelo voto porque muitos dos beneficiários o consideravam um “direito” a ser mantido, independente de quem ganhasse o pleito, além de não enxergarem Bolsonaro como alguém com vinculação e compromisso para com os mais pobres.

Biografia do Autor

Karla Regina Macena Pereira Patriota, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Doutora em doutorado em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Professora Associada do Curso de Publicidade e Propaganda da Universidade Federal de Pernambuco e do Programa de Pós-graduação em Comunicação - PPGCOM da UFPE.

Referências

BARBOZA, D. As denúncias de compra de votos como estratégia eleitoral. Análise da relação entre denúncias de compra de votos e a dinâmica de competição eleitoral nas eleições municipais de 2012 em São Paulo. Dissertação (Mestrado em Ciência Política) – Departamento de Ciência Política, Universidade de São Paulo – USP. São Paulo, 2015.

BORGES, M. Por que o aumento do Auxílio Brasil não alavancou a popularidade de Bolsonaro?. Latinoamerica21. 01/10/2022. Disponível em: <https://latinoamerica21.com/br/por-que-o-aumento-do-auxilio-brasil-nao-alavancou-a-popularidade-de-bolsonaro/>. Acesso em: 28 jan. 2023.

COHN, A.; FONSECA, A. O bolsa-família e a questão social. Revista Teoria e Debate, n. 57, março/abril de 2004. Disponível em: <https://teoriaedebate.org.br/2004/04/10/o-bolsa-familia-e-a-questao-social/>. Acesso em: 29 jan. 2023.

CORRÊA, D. Os custos eleitorais do Bolsa Família: reavaliando seu impacto sobre a eleição presidencial de 2006. Opinião Pública, vol. 21, nº 3, 2015.

FERNANDES, A.; WATANABE, M. Família de uma pessoa prolifera no cadastro do Auxílio Brasil: Desenho favorece ‘divisão artificial’ dos núcleos familiares. Valor Econômico. 19/10/2022. Disponível em: <https://valor.globo.com/brasil/noticia/2022/10/19/familia-de-uma-pessoa-prolifera-no-cadastro-do-auxilio-brasil.ghtml>. Acesso em: 27 jan. 2023.

HUNTER, W.; POWER, T. Rewarding Lula: Executive Power, Social Policy, and the Brazilian Elections of 2006. Latin American Politics & Society, v.49, p. 1-30, 2007.

LICIO, E. C.; RENNÓ, L. R.; CASTRO, H. C. DE O. DE. Bolsa Família e voto na eleição presidencial de 2006: em busca do elo perdido. Opinião Pública, Vol. 15, nº 1, p.31-54, jun. 2009.

MARQUES, R. M. et al. Discutindo o papel do Programa Bolsa Família na decisão das eleições presidenciais brasileiras de 2006. Brazilian Journal of Political Economy, v. 29, n. 1, p. 114–132, jan. 2009.

MESQUITA, C. Uso eleitoral do Auxílio Brasil é tentativa de reverter derrota no 1º turno, dizem economistas. Brasil de Fato. 05/10/2022. Disponível em: <https://www.brasildefato.com.br/2022/10/05/uso-eleitoral-do-auxilio-brasil-e-tentativa-de-reverter-derrota-no-1-turno-dizem-economistas>. Acesso em: 30 jan. 2023.

MOTORYN, P. Bolsonaro usa máquina com pacote bilionário de 9 medidas eleitoreiras no 2º turno. Brasil de Fato. 15/10/2022. Disponível em: <https://www.brasildefato.com.br/2022/10/15/bolsonaro-usa-maquina-com-pacote-bilionario-de-9-medidas-eleitoreiras-no-2-turno>. Acesso em: 29 jan. 2023.

NICOLAU, J.; PEIXOTO, V. As bases municipais da votação de Lula em 2006. In: Cadernos Fórum Nacional, n° 6. Rio de Janeiro: Instituto de Altos Estudos, p. 15-25, 2007.

PINTO, M., FREITAS, R. Em busca de uma articulação entre Técnicas Projetivas, Análise do Discurso e os estudos do Consumo. Organ Soc [Internet], Vol. 24, n. 80, p. 157-176, jan./mar. 2017.

PRANDO, R. Jair Bolsonaro: 2018-2022 – Discurso, Ação Política e Eleições. (Ensaio). Revista InterAção. Eleições brasileiras 2022 Edição Especial. Vol. 13, nº 02, p. 46-56, set. 2022.

RAMOS, P. Alheamento Eleitoral: Reflexões sobre o significado de votos em branco, votos nulos e abstenções na Teoria Política contemporânea. Revista Mediações, v.14, nº1, p.170-199, jan/jun. 2009.

RICHARDSON, R. Pesquisa Social: Métodos e Técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

SIMONI JUNIOR, S. Efeitos diretos e indiretos do Programa Bolsa Família nas eleições presidenciais brasileiras. Opinião Pública, v. 27, n. 1, p. 230–260, jan. 2021.

SOARES, G. A. D.; TERRON, S. L. Dois Lulas: a geografia eleitoral da reeleição (explorando conceitos, métodos e técnicas de análise geoespacial). Opinião Pública, vol. 14, n° 2, p. 269-301, 2008.

TOCQUEVILLE, A. A democracia na América. Belo Horizonte/São Paulo: Itatiaia/Universidade de São Paulo, 1987.

ZUCCO, C. When Pay Outs Pay Off: Conditional Cash-Transfers and Voting Behavior in Brazil 2002-2010. American journal of political science, v. 57, n. 4, p. 810-822, 2013.

Downloads

Publicado

2024-04-03

Como Citar

PATRIOTA, K. R. M. P. . A percepção do Auxílio Brasil entre os beneficiários e o impacto nas eleições presidenciais de 2022. Revista Agenda Política, [S. l.], v. 11, n. 2, p. 197–218, 2024. DOI: 10.14244/agenda.2023.2.9. Disponível em: https://www.agendapolitica.ufscar.br/index.php/agendapolitica/article/view/873. Acesso em: 18 jun. 2024.