Dimensão e Determinantes do Pensamento Ideológico entre os Brasileiros

Autores

  • Pedro Henrique Marques

DOI:

https://doi.org/10.31990/agenda.2020.1.3

Resumo

Este artigo busca descrever a distribuição de eleitores ideológicos no Brasil e os determinantes individuais da posse de sistemas de crenças ideologicamente consistentes. As hipóteses testadas foram que apenas uma minoria dos eleitores é ideologicamente consistente e que escolaridade, interesse por política e identificação partidária estão positivamente relacionadas com essa característica. Com base no Lapop 2017, a metodologia consistiu na criação de um indicador de estruturação ideológica das crenças, baseado na coerência entre as posições políticas e a autolocalização ideológica. Com esse, então, descrevemos o tamanho e os determinantes individuais da posse de sistemas de crenças ideologicamente estruturados. Nossos resultados confirmam que há poucos eleitores ideologicamente consistentes, que há maior inconsistência entre os eleitores autolocalizados à direita e que a consistência está parcialmente relacionada à maior escolaridade, interesse por política e identificação partidária.

Referências

ABRAMOWITZ, A. I; SAUNDERS, K. L. Is polarization a myth? The Journal of Politics, Chicago, v. 70, n. 2, p. 542-555, abr. 2008.

ABRAMOWITZ, A. The Disappearing Center: Engaged Citizens, Polarization, and American Democracy. London: Yale University Press, 2010.

ALMEIDA, R. A onda quebrada: evangélicos e conservadorismo. Cadernos Pagu, Campinas, n. 50, 2017

BORGES, A; VIDIGAL, R. Do lulismo ao antipetismo? Polarização, partidarismo e voto nas eleiçoes presidenciais brasileiras. Revista Opinião Pública, Campinas, v. 24, n. 1, p. 53-89, 2018.

CAMPBELL, A; CONVERSE, P. E; MILLER, W. E; STOKES, D. E. The American voter. New York: John Wiley, 1960.

CARMINES, E. G; ENSLEY, M. J; WAGNER, M. W. Who Fits the Left-Right Divide? Partisan Polarization in the American. American Behavioral Scientist, v. 56, n. 12, p. 1631-1653, 2012a.

CARMINES, E. G; ENSLEY, M. J; WAGNER, M. W. Political Ideology in American Politics: One, Two or None? The Forum, v. 10, n. 3, p. 1-20, out. 2012b.

CARREIRAO, Y. S. Identificação ideológica e voto para presidente. Opinião Pública, Campinas, v. 8, n. 1, p. 54-79, 2002.

CARREIRAO, Y. S. Identificação ideológica, partidos e voto na eleição presidencial de 2006. Opinião Pública, Campinas, v. 13, n. 2, p.307-339, 2006.

CARREIRAO, Y. S. Opiniões políticas e sentimentos partidários dos eleitores brasileiros. Opinião Pública, Campinas, v. 14, n. 2, p. 319-351, 2008.

CONVERSE, P. E. The nature of belief systems in mass publics. In: APTER, D. (Ed.). Ideology and discontent. New York: The Free Press of Glencoe, 1964.

DELLI CARPINI, M; KEETER, S. What Americans Know About Politics and Why It Matters. New Heaven: Yale University Press, 1996.

ELLIS, C; STIMSOM, J. A. Ideology in America. Cambridge: Cambridge University Press, 2012.

INGLEHART, R. & WELZEL, C. Modernization, cultural change, and democracy: the human development sequence. Cambridge: Cambridge University Press, 2005.

IZUMI, M. Ideologia, sofisticação política e voto no Brasil. Opinião Pública, Campinas, v. 25, n. 1, jan.-abr., p. 29-62, 2019.

NIE, N. H; ANDERSEN, K. Mass Belief Systems Revisited: Political Change and Attitude Structure. The Journal of Politics, Chicago, v. 36, n. 3, p. 540-591, 1974

OLIVEIRA, C; TURGEON, M. Ideologia e comportamento político no eleitorado brasileiro. Opinião Pública, Campinas, v. 21, n. 3, p. 574-600, 2015.

PAIVA, D; KRAUSE, S; LAMEIRÃO, A. P. O eleitor antipetista: partidarismo e avaliação retrospectiva. Opinião Pública, Campinas, v. 22, n. 3, p. 638-674, 2016.

QUADROS, M. P. R; MADEIRA, R. M. Fim da direita envergonhada? Atuação da bancada evangélica e da bancada da bala e os caminhos da representação do conservadorismo no Brasil. Opinião Pública, Campinas, v. 24, n. 3, p. 486-522, 2018.

REIS, F. W; CASTRO, M. M. Regiões, classe e ideologia no processo eleitoral brasileiro. Lua Nova, São Paulo, n. 26, p. 81-131, 1992.

REIS, F. W. Identidade, política e a teoria da escolha racional. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 3, n. 6, p. 26-38, 1988.

REIS, F. W. A razão do eleitor. Estudo pretende demonstrar peso da ideologia nas eleições brasileiras Folha de S. Paulo, São Paulo, 09 set. 2000. Jornal de Resenhas. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/fsp/resenha/rs0909200003.htm>. Acesso em: 09 dez. 2017.

SILVA, T. M. Para além de esquerda e direita: a multidimensionalidade das crenças no Brasil contemporâneo (1989-2014). Tese (Doutorado em Ciência Política) – Instituto de Ciência Política, Universidade de Brasília. Brasília. 2017.

SILVA, T. M. Nem tão “Flamengo”: questões de posição e o voto no Brasil. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, v.27, n. 69, p. 1-22, 2019.

SINGER. A. Esquerda e direita no eleitorado brasileiro. São Paulo: Edusp, 2000.

KAYSEL, André. (2015). Regressando ao Regresso: elementos para uma genealogia das direitas brasileiras. In: CRUZ, S. V; KAYSEL, A; CODAS, G. (Org.). Direita, volver!: o retorno da direita e o ciclo político brasileiro. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2015, Capítulo 2, p. 49-74.

TAROUCO, G. S; MADEIRA, R. M. Os partidos brasileiros segundo seus estudiosos: Análise de um expert survey. Civitas Revista de Ciências Sociais, Porto Alegre, v. 15, n. 1, p. 24-39, jan.-mar. 2015.

TELLES, H. S; STORNI, T. P. Desvios e similitudes: ideologia, atitudes e decisão de voto em eleitores de direita e esquerda. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPOCS, 33., 2009, Caxambu. Anais... Caxambu: [s.n.], 2009. p. 1-25.

ZALLER, J. The Nature and Origins of Mass Opinion. New York: Cambridge University Press, 1992.

Downloads

Publicado

2022-01-25

Como Citar

MARQUES, P. H. Dimensão e Determinantes do Pensamento Ideológico entre os Brasileiros. Revista Agenda Política, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 78–105, 2022. DOI: 10.31990/agenda.2020.1.3. Disponível em: https://www.agendapolitica.ufscar.br/index.php/agendapolitica/article/view/309. Acesso em: 23 fev. 2024.